“Os jogadores estão com vontade de jogar novamente, para poder lutar pelos três pontos”

O mister Jorge Simão deu, no final da manhã hoje, a habitual conferência de imprensa de antevisão à partida desta segunda-feira, frente ao CD Santa Clara. Em resposta aos órgãos de comunicação social presentes, o treinador principal dos academistas, Jorge Simão, falou sobre o término de um longo ciclo sem perder, assumindo que a equipa já só pensa em conquistar os três pontos nesta nova jornada: “É extremamente difícil, e basta olhar para o registo das equipas no campeonato, ficar 11 jogos consecutivos sem perder. Algum dia iria acabar por acontecer. O importante é seguir com o que tínhamos vindo a fazer, e não ficar a pensar obcecadamente no resultado. Temos de perceber o que temos de melhorar, para conseguir já uma vitória. Os jogadores estão tranquilos e com vontade de jogar novamente, para poder lutar pelos três pontos”. Jorge Simão abordou o equilíbrio mental que deve reinar na equipa, que deve manter sempre o foco naquilo que é feito no terreno de jogo: “O nosso foco é cumprir com rigor as nossas missões dentro de campo. E temos de nos agarrar a isso, senão ficamos eufóricos quando ganhamos, e deprimidos quando perdemos. E não pode ser assim. O resultado é a consequência do que fazemos em campo. Temos de perceber o que nos levou a atingir aquele resultado em específico, trabalhando e treinando para que, no jogo a seguir, sejamos melhores”. O Académico de Viseu joga às 18H de amanhã, no Estádio do Fontelo, frente ao CD Santa Clara. A partida da jornada número 24 da Liga Portugal 2, terá arbitragem do juiz David Rafael Silva, da Associação de Futebol do Porto. 

Académico
Académico
Académico
VS
Santa Clara
Santa Clara
04 MAR 2024 - 18:00

Liga Portugal 2 SABSEG

JORNADA 24

04

MAR

Académico

Santa Clara

J 24
18:00
JORNADA 24 - 18:00

Liga Portugal 2 SABSEG

09

MAR

CD Nacional

Académico

J 25
14:00
JORNADA 25 - 14:00

Liga Portugal 2 SABSEG

16

MAR

Académico

FC P.Ferreira

J 26
15:30
JORNADA 26 - 15:30

Liga Portugal 2 SABSEG

30

MAR

Benfica B

Académico

J 27
JORNADA 27

Liga Portugal 2 SABSEG

07

ABR

Académico

FC Porto B

J 28
JORNADA 28

Liga Portugal 2 SABSEG

27

FEV

2

0

AVS

Académico

J 23
18:00
JORNADA 23 - 18:00

Liga Portugal 2 SABSEG

21

FEV

x

x

CD Feirense

Académico

J 20
18:00
JORNADA 20 - 18:00

Liga Portugal 2 SABSEG

18

FEV

2

2

Académico

UD Oliveirense

J 22
18:00
JORNADA 22 - 18:00

Liga Portugal 2 SABSEG

10

FEV

1

0

Académico

FC Penafiel

J 21
18:00
JORNADA 21 - 18:00

Liga Portugal 2 SABSEG

30

JAN

1

1

Académico

CD Tondela

J 19
18:00
JORNADA 19 - 18:00

Liga Portugal 2 SABSEG

# Equipa J V E D PTS
5 SCU TorreenseSCU Torreense 24 11 6 7 39
6 CD TondelaCD Tondela 24 8 12 4 36
7 AcadémicoAcadémico 23 8 10 5 34
8 CD MafraCD Mafra 24 9 7 8 34
9 Benfica BBenfica B 24 9 6 9 33
#SOMOSVIRIATHUS

“Os jogadores estão com vontade de jogar novamente, para poder lutar pelos três pontos”

O mister Jorge Simão deu, no final da manhã hoje, a habitual conferência de imprensa de antevisão à partida desta segunda-feira, frente ao CD Santa Clara. Em resposta aos órgãos de comunicação social presentes, o treinador principal dos academistas, Jorge Simão, falou sobre o término de um longo ciclo sem perder, assumindo que a equipa já só pensa em conquistar os três pontos nesta nova jornada: “É extremamente difícil, e basta olhar para o registo das equipas no campeonato, ficar 11 jogos consecutivos sem perder. Algum dia iria acabar por acontecer. O importante é seguir com o que tínhamos vindo a fazer, e não ficar a pensar obcecadamente no resultado. Temos de perceber o que temos de melhorar, para conseguir já uma vitória. Os jogadores estão tranquilos e com vontade de jogar novamente, para poder lutar pelos três pontos”. Jorge Simão abordou o equilíbrio mental que deve reinar na equipa, que deve manter sempre o foco naquilo que é feito no terreno de jogo: “O nosso foco é cumprir com rigor as nossas missões dentro de campo. E temos de nos agarrar a isso, senão ficamos eufóricos quando ganhamos, e deprimidos quando perdemos. E não pode ser assim. O resultado é a consequência do que fazemos em campo. Temos de perceber o que nos levou a atingir aquele resultado em específico, trabalhando e treinando para que, no jogo a seguir, sejamos melhores”. O Académico de Viseu joga às 18H de amanhã, no Estádio do Fontelo, frente ao CD Santa Clara. A partida da jornada número 24 da Liga Portugal 2, terá arbitragem do juiz David Rafael Silva, da Associação de Futebol do Porto. 

2024-03-03

Hora de Reagir

O relógio marca 18H do quarto dia de março. O sol está a cerca de 20 minutos de se despedir, timidamente, no horizonte. Numa substituição milenar, a lua toma o seu lugar e encarregar-se-á de acompanhar, vigilantemente, o relvado do Fontelo, no decorrer de mais uma partida do mítico Académico. “Hora de reagir”, são as palavras de ordem que ecoam nos cânticos dos adeptos apaixonados pelo seu Académico, numa melodia de esperança e determinação. Após o último desafio árduo, onde o destino não sorriu favoravelmente, é chegada a vez de erguer-nos novamente, como um falcão que renasce das brasas. Orgulho ferido, é o que sentimos. No entanto, a lembrança dos golos adversários não apoquenta mais a alma viseense, que não se verga perante a adversidade. Sabemos das nossas qualidades, do nosso espírito guerreiro, e é com esse fogo interior que iremos incendiar o relvado, num espetáculo de paixão e entrega. Nas vielas de Viseu e nas marés açorianas, palpita o coração do futebol, onde cada jogo é uma epopeia, uma odisseia de emoções. Unidos pela vontade de vencer, Viriatos e Açorianos enfrentam-se, não como inimigos, mas como adversários dignos, num duelo de honra e respeito mútuo. Após o tropeção na Vila das Aves, é o CD Santa Clara quem surge para pagar as despesas da nossa redenção. Por esse mesmo motivo, temos nós de estar preparados para apresentar a conta. Com sede de glória, com a fome insaciável de golos, marchamos para o confronto, determinados a escrever o nosso próprio destino. Lembrando os anteriores 11 confrontos, são seis vitórias contra quatro derrotas, onde só existe um empate. Podemos, portanto, concluir que neste duelo há, por norma, sempre um vencedor e um vencido. No mítico Fontelo, onde a mata envolvente conta histórias de glória e de sacrifício, declamadas pelas suas árvores centenárias,  é hora de voltar a vencer. Sob o olhar atento das estrelas, chefiadas pela lua, sob o suspiro dos troncos que nos abraçam, erguemos os pergaminhos da esperança, da fé, da convicção. Olhamos sobriamente para a tabela, com a garra e valentia que nos definem. Porque somos mais do que um clube, somos uma família, somos uma cidade, somos o Académico. Porque hoje e sempre, é o Académico que nos une, que nos emociona, que nos faz sonhar. Força Viriatos, rumo à glória!

2024-03-02

Dois tropeções em três minutos

Num duelo intenso, onde os corações academistas batiam em uníssono, o palco avense estava armado com ratoeiras, prontas a colocar à prova a resistência beirã. Frente ao AVS, os Viriatos procuravam o brilho da vitória, como quem busca a luz no fim do túnel. Mas a noite da Vila das Aves, onde até a lua brilhava com cores quentes do vermelho da casa, não fez valer a nossa arte. Em cada toque, em cada corrida, o Académico foi a personificação do esforço e da entrega. No entanto, diante da força adversária, até mesmo o mais poderoso coletivo poderá acabar vergado. Primeiro pelo jovem John Mercado (63´) e, depois, pelo experiente Nené (66´), o AVS escreveu a sua história no encontro em apenas três minutos, destronando a nossa invencibilidade na etapa complementar do encontro. Ainda assim, o coração do Académico nunca se rendeu. Apesar de abanados pela rajada que trouxe uma dura desvantagem, lutaram os corajosos beirões, com a bravura de quem carrega séculos de história nos ombros, com a dignidade de quem porta o escudo da academia. Bem na gestão do 2-0, a turma da Vila das Aves leu os nossos pensamentos, dificultando-nos a árdua tarefa de reagir perante o resultado. Nesta noite, a vitória dançava ao som dos cantares nortenhos. E assim, entre passes e dribles, entre defesas e ataques, o jogo viseense nunca conseguiu atingir com grande perigo e lucidez a baliza de Trigueira. No final, foi o Académico que, com o coração pesado, terminou derrotado. No nosso peito, pulsa a certeza de que em cada derrota, há uma lição, e em cada desafio, uma oportunidade de renascer. Levantamos a cabeça e o semblante para cima, mirando olhos nos olhos os açorianos que se seguem. Segunda encontramo-nos no Fontelo, juntos.

2024-02-27

Patrocinadores Principais